JAPA MALA E MANTRAS



Japa mala e mantras


Mantras são sons carregados de energia shakti que produzem efeitos em nossos corpos físico, mental e espiritual (o termo mantra pode ser interpretado como “aquele que liberta a mente”, “instrumento do pensamento”, ou como “aquele que protege a mente”). Os mantras são utilizados principalmente para desenvolver a concentração, cessar os pensamentos, ampliar a consciência e trazer o poder de alguma divindade. Eles são ainda poderosos instrumentos de remoção da ignorância (avidya), revelação de verdades (oharma), promoção da limpeza e purificação interna (kriya) e libertação espiritual (moksha).


REPETIÇÃO DE MANTRAS


Japa é a repetição do um mantra realizada com pronúncia, concentração e ritmo corretos, para potencializar seu poder e manter a mente fixa no processo meditativo. O mantra pode ser repetido de diversar formas: Vaikhari ou váchika (mantra pronunciado em voz alta, muito usado em satsanga); upangshu (mantra sussurrado, usado em práticas individuais para concentração de forças); manasika ou manás (mantra entoado mentalmente - a forma mais difícil e a mais eficiente, já que atua na consciência antes do som se materializar em palavras); e, finalmente, likhita (mantra escrito).

Para realizar a contagem dessas repetições pode-se utilizar um mala, rosário oriental de 108 contas, ou a própria mão direita, onde o polegar vai tocando as falanges dos outros em ordem específica (ver exemplo abaixo).

Blog 7.jpg



UTILIZANDO O JAPA MALA


O japa mala é um cordão de 108 contas (ou de divisões menores desse número como 54 ou 27), cuja função é auxiliar na prática da meditação, possibilitando que o praticante se concentre apenas no som e na energia do mantra recitado e não na contagem das repetições.

Geralmente as repetições são realizadas 108 vezes (ou vários ciclos de 108 ou divisões de 108). A cada conta, faz-se ritmicamente uma repetição inteira do mantra trabalhado. A conta principal - meru - que une o mala, nunca faz parte das repetições, servindo para demarcar o início e o fim do japa de 108 mantras. Inicia-se a entoação a partir da primeira conta após o meru e ao completar as 108 repetições, vira-se o mala na direção contrária e reinicia-se a partir da última conta - que torna-se então a primeira desse novo ciclo. Na manipulação do mala durante o japa, utiliza-se apenas os dedos médio e polegar da mão direita.

O número 108 é considerado auspicioso pelas tradições orientais por diversos aspectos:

- Para a numerologia 108 é o número 9 (1+ 0 + 8), o símbolo do eremita: aquele que medita, é introspectivo e encontra-se consigo mesmo.

- Para algumas linhas do Tantra, o número 1 representa o praticante e 8, a iluminação.

- 108 seria o número de canais energéticos que saem do centro do coração do corpo sutil do praticante e a repetição energizaria cada um desses canais.

- Astronomicamente, a distância entre a Terra e a Lua é 108 vezes o diâmetro da Lua, e a distância entre a Terra e o Sol é 108 vezes o diâmetro do Sol.

- 108 é o número chave que permeia todo o cálculo dos ciclos cósmicos de existência, da criação e extinção do universo segundo o hinduísmo (108 é a idade de Brahma).


Blog 4.jpg


TIPOS DE JAPA MALA


Os japa malas podem ser confeccionados a partir dos mais diversos materiais como madeira, sementes e pedras preciosas e semipreciosas.

Tulasi  - Também conhecida como a “rainha das ervas”, o tulasi é sagrado para os indianos pois é considerada a encarnação em forma de planta da deusa Vrindadevi, que incorpora a beleza da flora e da fauna do último ser da floresta espiritual, Vrindavana. Suas folhas podem ser usadas para se ofertar a Krishna e do seu caule faz-se os malas. Em quase todos os templos da Índia existe um lugar especial reservado à planta, pois honrá-la desperta o amor puro e a devoção, traz paz e a felicidade à vida familiar e cria harmonia na natureza. Além de seus benefícios medicinais, acredita-se também que tulasi traz proteção, força espiritual e purificação do corpo, da mente e das emoções.

Rudraksha – É uma planta sagrada entre os indianos, pois acredita-se que  Shiva, ao ver o sofrimento da humanidade, se encheu de compaixão e chorou, e suas lágrimas, ao caírem na terra, viraram as sementes de rudraksha. Entre as propriedades medicinais desta planta estão o controle e diminuição do estresse e de problemas circulatórios. A qualidade de suas sementes é medida de acordo com o número de fendas (mukhi) de cada uma delas. Especula-se que o número de fendas está ligado ao um planeta específico, a semente mais comum para japa malas é a de 5 fendas, que está associada ao planeta Júpiter, senhor do conhecimento espiritual.

Sândalo – Planta conhecida por suas propriedades aromáticas. Suas propriedades medicinais são calmante, aromática, fixadora, desinfetante, antimicrobiana, adstringente, carminativa, diurética, expectorante, sedativa, refrigerante e tônica. Na meditação auxilia na ascensão espiritual e proteção energética.

Cristais – Os cristais têm sido usados há milênios para promover a cura e restabelecer o equilíbrio. Eles atuam por meio da ressonância e da vibração, dissolvendo resíduos energéticos ruins, purificando ambientes e dando proteção.

Independente do material utilizado é importante destacar que o japa mala assume a energia do mantra e de quem o utiliza. É aconselhado também que seja usado um japa mala diferente para cada mantra, porque quando se inicia um novo mantra sua energia começa a substituir a energia do mantra anterior.



PRINCIPAIS DICAS



- Quanto às formas de utilização após o japa, há tradições divergentes, algumas aconselham que o japa mala seja usado sempre ao redor do pescoço, salvo nos horários de banho e sono. Outras tradições aconselham o uso somente no momento da prática. Faça-o como preferir ou de acordo com a tradição ou filosofia que segue.

 - Quanto mais você utilizar o mala (nas repetições), mais ele será imantando com sua própria energia. Utilizando de modo apropriado, ele chegará a se converter em poderoso amuleto, ou talismã, de saúde, proteção, prosperidade, felicidade, consciência e realização espiritual.

- Caso seu japa mala se rompa o recomendado é que ele seja descartado, pois significa que ele já cumpriu o seu papel como objeto protetor. Também é possível fazer a limpeza de energia das contas e utiliza-las na confecção de um novo japa mala.



TRADIÇÕES ESPIRITUAIS


No budismo tibetano o mala é elemento religioso de destaque, ajudando a limpar a mente. Para eles a repetição desses sons sagrados ajuda abrir o coração para o amor e a compaixão.

Os católicos utilizam o rosário ou “terço” para fazer as orações. O rosário possui 50 contas separadas de dez em dez por outra conta maior, e seus extremos se unem em uma cruz, somando 54 contas.

Na umbanda e no candomblé, as contas são feitas de pedras ou materiais naturais e cada pessoa tem o seu rosário particular, condicionado com as cores correspondentes ao nível de desenvolvimento espiritual e à vibração energética.  Segundo eles, esse adorno serve para proteger e manter boas energias.

No sufismo e islamismo, o tasbi, como é conhecido o rosário mulçumano, pode ser feito de madeira, madrepérola, metais e pedras preciosas, com ricos significados dentro da astrologia islâmica. O tasbi pode ser de 99 ou 33 contas.

Além de qualquer orientação religiosa ou espiritual, entoar mantras ou palavras positivas com o apoio de algum adereço, nesse caso, o japa mala, nos ajudam a concentrar boas energias e limpar a mente para conseguir equilíbrio e paz interior e exterior.



Fontes:  Mudras – As mãos como símbolo do cosmos, Ingrid Ramm-Bonwitt, Editora Pensmento  /  A Bíblia dos Cristais – O Guia Definitivo dos Cristais, Jdy Hall, Editora Pensamento  / / maosocupadas.blogspot.com.br  /  https://www.navrattnayoga.com.br  /  https://www.curaeascensao.com.br    https://www.tuasaude.com  /  Material adicional: Carlos Handhu



Total Duration: 2 min
00:00
/
02:00

Fonte:https://www.comprazen.com.br/blog/3/85/japa-mala-e-mantras-repeticao-mantrica-meditacao-tradicao-oriental-rudraksha-tulasi-cristal-sandalo-blog